SBAI 2019

Ouro Preto, uma viagem na História do Brasil

 OURO PRETO, UMA VIAGEM NA HISTÓRIA DO BRASIL

Visitar Ouro Preto é uma viagem na história do Brasil e isso já é um ótimo motivo para conhecê-la. Ouro Preto está localizada no estado de Minas Gerais e passou a ser capital mineira em 1720, quando ainda se chamava Vila Rica. Esse nome dá ideia da riqueza que era produzida na região. Em 1823, passou a se chamar Imperial Cidade Ouro Preto, título concedido por D.Pedro I, e continuou como capital do estado. Foi em Ouro Preto que começou a ser discutido/pensado o movimento da Inconfidência Mineira. A cidade reúne um dos conjuntos mais completos de arte barroca. Essa bela cidade histórica de Minas Gerais foi a primeira cidade brasileira considerada Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco em 1980. É ou não é um lugar cheio de história ? Vamos conhecer ?

Ouro Preto recebe muitos turistas estrangeiros e é frequente encontrar, em restaurantes, igrejas e museus, guias e grupos falando inglês, francês e outros idiomas. Vários hotéis estavam com lotação esgotada e a hospedagem bem cara, apesar de termos ido fora de temporada. Então, acabamos escolhendo um hotel/pousada bem simples e mais distante do centro, Mirante Hotel. Sendo assim, tivemos que usar o carro para todos os deslocamentos. É bom saber que encontrar vaga pela cidade não é tarefa fácil.

Mirante Hotel
Aqui segue, não um roteiro, mas os lugares legais que visitamos em 2 dias em Ouro Preto, Minas Gerais.  Baseado nessas dicas, organize seu próprio roteiro pela cidade conforme o seu ritmo, interesse e disponibilidade de tempo.  
Uma caminhada pela cidade já é um ótimo programa para apreciar o casario colonial, mas os prédios históricos e as igrejas roubam a cena.

Praça Tiradentes
É um símbolo da cidade, além de ser a praça principal. Está rodeada de prédios coloniais, onde duas construções se destacam: o Museu da Inconfidência e o Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas. No centro da praça, em cima de um grande pedestal, está a estátua de Tiradentes, no mesmo local onde, em 1792, sua cabeça foi exposta. O Museu da Inconfidência fica na antiga Casa de Câmara e Cadeia e pode ser visitado de terça a domingo, de 10h às 17h. O Museu de Ciência e Técnica funciona no prédio que foi o Palácio dos Governadores e recebe visitantes de terça a domingo de 12h às 17h.

Igreja São Francisco de Assis 
Esse primor do barroco brasileiro foi construído em 1766. É uma igreja belíssima com pinturas no teto feitas pelo Mestre Manuel de Ataíde. Já o projeto, o medalhão, a sacristia e outros trabalhos em pedra sabão são de autoria de Aleijadinho.
Foi eleita, em 2009, uma das 7 Maravilhas de Origem Portuguesa no mundo. O interior da igreja é muito belo, porém não pode ser fotografado. 




Igreja Nossa Senhora das Mercês e Perdões
A construção dessa igreja, mais conhecida como Mercês de Baixo, se deu entre 1769 e 1772. O altar mor é obra de Aleijadinho. Em Ouro Preto são tantas as igrejas que, às vezes, sem perceber, acabamos não dando a devida atenção a cada uma delas. Isso é injusto porque elas têm detalhes específicos e são construções do século XVI, no mais autêntico estilo barroco.



Igreja Nossa Senhora do Carmo
Construída entre 1766 e 1772 no local onde, anteriormente, existiu a Capela Santa Quitéria. O projeto é do pai de Aleijadinho, mas, enquanto a igreja estava sendo construída, Aleijadinho alterou o projeto. Mestre Ataíde e Aleijadinho são responsáveis por vários trabalhos na igreja.

Museu do Oratório
Um dos lugares que eu queria muito conhecer em Ouro Preto era o Museu do Oratório. Instalado em ampla casa, ao lado da igreja do Carmo, exibe belíssimo acervo de 162 oratórios e 300 imagens e é considerado único no mundo e, por essa razão, acho que esse museu merece sua visita.



Casa da Ópera
Uma casa pintada em cores fortes, como o mostarda, e portas e detalhes na cor ameixa, além de uma pequena lira enfeitando o telhado, assim é o Teatro Municipal Casa de Ópera de Ouro Preto. Uma preciosa construção de 1770 até hoje utilizada para apresentações. É considerada a mais antiga Casa de Ópera ainda em funcionamento na América Latina.  Em seu interior podemos ver 3 andares: a plateia, frisas, camarotes, o camarote imperial e a galeria, todos com cadeiras soltas. Ele tem grande parte revestida em madeira, o que contribui para boa acústica.

Basílica Nossa Senhora do Pilar
Seu interior, em estilo barroco, é belíssimo, com altares e retábulos revestidos de ouro. É considerada a segunda igreja mais rica do Brasil em ouro. A visita é só deslumbramento. Sua construção é do século XVI. Não é permitido tirar fotos no interior da igreja e é interessante fazer a visita acompanhada por um guia que aborda inúmeros detalhes.  

Casa dos Contos
A Casa dos Contos, construção no estilo barroco mineiro, abriga o Museu da Moeda, o Centro de Estudos do Ciclo do Ouro, uma exposição de móveis e objetos do século XVIII e uma exposição, no espaço onde era a senzala, de objetos do cotidiano dos escravos, além de instrumentos de tortura e documentos sobre a compra/venda dos mesmos.



Essa casa foi construída entre 1782 e 1784 para ser residência de João Rodrigues de Macedo, que ocupava a função de arrecadador de tributos. Depois, ali passou a funcionar a Casa dos Contratos, também, responsável pela arrecadação de tributos. Serviu também de prisão para os inconfidentes.

Igreja Nossa Senhora do Rosário
Achei muito interessante o formato oval com laterais arredondadas dessa igreja. A Irmandade dos Homens Pretos ganhou autorização para construir um templo maior e mais imponente, em 1753. E, anos mais tarde, também, ganhou o terreno em função de terem construído uma rua para a passagem da  procissão do Triunfo Eucarístico.

Passo de Antônio Dias
Passo é uma capela bem pequenina que mostra os últimos passos de Cristo e só abre na Semana Santa. Conhecer um dos cinco passos existentes em Ouro Preto é interessante, mas não indispensável. 

Chafariz do Passo de Antonio Dias
Em frente ao Passo de Antonio Dias está o Chafariz de Antonio Dias. Sua construção é de 1752. Este, assim como outros chafarizes, servia na época para o abastecimento de água na cidade.

Santuário de Nossa Senhora da Conceição
Localizada no bairro Antonio Dias, esse santuário foi projetado e construído por Manoel Francisco Lisboa, pai de Aleijadinho, ambos os corpos estão sepultados dentro da igreja. Ele foi construído entre 1727 e 1746 no mesmo local onde, anteriormente, ficava a pequena Capela de Nossa Senhora da Conceição, erguida pelo bandeirante Antonio Dias de Oliveira, figura que tem uma importância histórica para a cidade. À frente de um grupo de bandeirantes em busca de ouro e pedras preciosas, Antonio Dias foi o primeiro a chegar à região, onde, mais tarde, nasceria Ouro Preto.
Está fechada para reformas.

Igreja de São Francisco de Paula
Ela fica afastada do centro histórico, no caminho para saída da cidade. Porém, por estar em um lugar elevado, é vista de vários pontos da cidade. Está com aspecto de pouca conservação. Foi a última igreja construída no período colonial.
Da frente da igreja de São Francisco de Paula se avista outra igrejinha, a de São José.

Estação de trem de Ouro Preto
A estação de trem de Ouro Preto foi inaugurada por D.Pedro II em 1889 e, essa linha que chegava à  estação, ligava a capital de Minas Gerais, Ouro Preto, à Corte no Rio de Janeiro. Funcionou até 1980 e depois ficou abandonada. Entre 2004 e 2006 a linha ferroviária e as 4 estações entre Ouro Preto e Mariana foram reformadas pela Companhia Vale. O trem, que passou a fazer esse trajeto, foi denominado "trem turístico Ouro Preto/Mariana". Ele é composto por dois tipos de vagão: turístico [5] e panorâmico [1] e funciona de sexta a domingo.

Vagão convencional e Vagão panorâmico 
Os preços dos tickets têm valores diferentes para alta e baixa temporada, para vagão convencional e vagão panorâmico e oferecem desconto para pessoas acima de 60 anos e para crianças entre 6 e 12 anos. 
Para reviver o clima de antigamente, tem, na estação, um antigo vagão nas cores originais, que, depois de restaurado, passou a funcionar como restaurante, o Vagão Café. A Cafeteria a Bordo é quem atende no restaurante e oferece, também, o serviço de bordo durante o passeio. 

Estação de trem de Mariana
Inaugurada em 1914, quando foi concluído o trecho de Ouro Preto até a cidade. Em 2006 foi reformada para receber a linha turística Ouro Preto/Mariana. O prédio da estação abriga uma biblioteca e o Museu Ferroviário. Um antigo vagão é muito bem aproveitado como "vagão de histórias".
Há programações especiais, na linha turística Ouro Preto/Mariana, em alguns feriados e no inverno, que tornam o passeio de trem ainda mais interessante.
 

FOTOS: J.C.ALVAREZ

Fonte - https://www.umasenhoraviagem.com/2018/11/ouro-preto-dicas-o-que-fazer.html



TOP